APPDA-Setúbal

Quem Somos

Quem Somos

A APPDA-Setúbal, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), sem fins lucrativos, Reg. n.º 76/07, Fls 169 verso e 170 do Livro n.º 11 das Associações de Solidariedade Social, publicado no Diário da República série III n.º 97 de 19 de Maio de 2005, sem fins lucrativos, fundada em 2005 por um grupo de pais e técnicos que consideram indispensável a constituição de uma Associação que promova o desenvolvimento, a educação, a integração social e a participação na vida ativa das pessoas com Perturbações do Espectro do Autismo (P.E.A.), no Distrito de Setúbal.

 

Aceda aos estatutos da APPDA-Setúbal aqui!

Planos de ação

Planos de ação

 

 

 

 

 Plano de ação 2013 e orçamento previsional, aceda aqui

• Plano de ação 2014 e orçamento previsional, aceda aqui

• Plano de ação 2015 e orçamento previsional, aceda aqui

• Plano de ação 2016 e orçamento previsional, aceda aqui

Plano de ação 2017 e orçamento previsional, aceda aqui

Relatórios de atividades e contas

Relatórios de atividades e contas

 

 

 

 

• Relatório de atividades e contas de 2013, aceda aqui 
                                                                         anexos 2013 
                                                                         resultados 2013 
                                                                         balanço 2013 

 

• Relatório de atividades e contas de 2014, aceda aqui           

 

• Relatório de atividades e contas de 2015, aceda aqui  

                                        →Balanço 2015 , aceda aqui

                                        →Demonstração de Resultados 2015, aceda aqui         

 

• Relatório de atividades e contas de 2016,   aceda aqui

                                                    → Parecer conselho fiscal , aceda aqui

Objetivos

Objetivos

  • Apoiar a investigação da etiologia, fenomenologia e terapêutica das Perturbações do Espectro do Autismo (PEA), colaborando com todas as pessoas e instituições interessadas;
  • Promover a formação e a educação das pessoas com perturbações do espectro do autismo, visando a sua integração escolar e social;
  • Dar apoio e formação aos responsáveis por pessoas com perturbações do espectro do autismo;
  • Promover a qualidade de vida das pessoas com perturbações do espectro do autismo, nomeadamente, através do acesso a diagnóstico e intervenção precoce, educação pré-escolar e escolaridade, atividade ocupacional e apoio residencial;
  • Colaborar com instituições congéneres, portuguesas ou estrangeiras, e com organizações ou instituições internacionais, na defesa dos direitos das pessoas com perturbações do espectro do autismo.

Visão/Missão/Valores

Visão/Missão/Valores

 

 

Visão

 Ser uma referência no Distrito de Setúbal para as pessoas com P.E.A. e seus familiares, criando um Centro de Competências que ofereça terapias e metodologias atualmente reconhecidas, de acordo com a especificidade da problemática.

Missão

 Criar um projeto de vida com qualidade e dignidade para as pessoas com P.E.A. e suas famílias, promovendo e defendendo os seus direitos, de forma a tornar a sociedade mais consciente da solidariedade inclusiva e da cidadania ativa.

Valores

Promover o respeito pela diferença e dignidade das pessoas com perturbações do espectro do autismo, a inclusão, a não discriminação, a solidariedade e o associativismo.

Corpos Sociais

Corpos Sociais

 

 

 

 

Corpos Gerentes

Quadriénio 2017-2020

 

 

ASSEMBLEIA GERAL

Presidente – Vera Santos Correia Gomes

1ª Secretária – Clara Maria Lampreia Emídio

2ª Secretária – Carla João Borges Franco Lopes

 

DIREÇÃO

Presidente – Jorge Manuel Martins Bernardo

Vice-Presidente – Carmen de Lurdes de Jesus Cristino

Tesoureiro – Paulo Jorge Henriques Anacleto

Secretária – Elisabete Correia Ferreira

Vogal – Ilda Ludovina Carvalho Romão

Suplente – Hélder Lino Simões Assunção

Suplente – Luís Filipe Correia Borges

 

CONSELHO FISCAL

Presidente – Esmeralda do Rosário Sobral Anacleto

1ª Vogal – Dália Maria Curto Nunes Lopes

2ª Vogal – Helena Isabel Pereira Romeiro

Suplente – Mónica Isabel Brito Pereira

 

Caixa Geral de Depósitos-caixa FÃ   Caixa Geral de Depósitos-caixa FÃ
Junta de freguesia Quinta do Conde   Junta de freguesia Quinta do Conde
Centro Comunitário da Quinta do Conde   Centro Comunitário da Quinta do Conde
INR   INR
Secil   Secil
BNP - PARIBAS   BNP - PARIBAS
Câmara Municipal de Setúbal   Câmara Municipal de Setúbal
Câmara Municipal de Sesimbra   Câmara Municipal de Sesimbra
Fundação EDP   Fundação EDP
Galp   Galp
Delta cafés   Delta cafés
Instituto politécnico de Setúbal   Instituto politécnico de Setúbal
Rotary Clube Setúbal   Rotary Clube Setúbal
IEFP   IEFP
ISS-Instituto Segurança Social,IP   ISS-Instituto Segurança Social,IP
Federação Portuguesa de Autismo   Federação Portuguesa de Autismo
CNE   CNE
AEP   AEP
Pedro Raposo & Associados   Pedro Raposo & Associados
Patas & Penas   Patas & Penas

Serviços

Serviços

Um dos principais objetivos da APPDA-Setúbal é melhorar a vida de todas das pessoas com PEA  e suas famílias - significa que  os nossos serviços podem ajudar os pais de uma criança recém-diagnosticada, que não sabe o que fazer com esta nova realidade, bem como toda a família e outros cuidadores - estamos aqui para ajudar!

O fornecimento de informações, apoios, recursos, encaminhamento para serviços públicos e/ou privados que respondem a esta problemática é o cerne da nossa missão. O nosso serviço de atendimento e acompanhamento fornece respostas às suas dúvidas e preocupações, presencialmente, por e-mail ou por telefone - ou se só precisa de alguém para o ouvir.

O nosso princípio de base é encontrar soluções para ajudar as famílias, profissionais e outros cuidadores que cuidam ou trabalham com pessoas com PEA.

 

Centro de Atendimento Acompanhamento e Animação

Centro de Atendimento Acompanhamento e Animação

 

 

 

Plano de ação 2015, aceda aqui

Plano de ação 2016, aceda aqui

Atendimento e Acompanhamento psicossocial

Atendimento e Acompanhamento psicossocial

Atendimento e Acompanhamento psicossocial a pessoas com PEA e suas famílias com vista a:

     - Informar sobre a problemática do autismo;
     - Informar, apoiar e orientar as pessoas com PEA e suas famílias na resolução das suas necessidades;
     - Informar e encaminhar para os serviços que respondem à problemática;
     - Informar sobre a legislação de apoio às pessoas com PEA e suas famílias;
     - Colaborar com escolas e comunidade em geral no sentido de sensibilizar e informar sobre a problemática da Perturbação do Espectro do Autismo;
     - Orientar os pais/cuidadores para lidar com dificuldades que surgem em casa e promoção de competências comportamentais para lidar com a PEA;
     - Proporcionar condições para o desenvolvimento integral da pessoa com PEA, num ambiente de segurança física e afetiva;
     - Promover a articulação com outros serviços existentes na comunidade;
     - Assegurar um atendimento individual e personalizado em função das necessidades específicas de cada pessoa com PEA;

Este serviço pretende informar, orientar e apoiar as pessoas com PEA e suas famílias, considerando as suas principais necessidades relativas ao diagnóstico, características da problemática, terapias, estratégias comportamentais e de intervenção, serviços de apoio existentes na comunidade e legislação, de modo a dotá-las do empowerment necessário para se constituírem atores ativos do seu próprio processo de inclusão. 

O trabalho junto dos pais/cuidadores visa auxiliá-los a identificar e intervir nas contingências que propiciam o desenvolvimento e a manutenção dos comportamentos adequados e desadequados. É importante que os pais recebam orientações para lidar eficazmente com os problemas do seu filho e para a solução dos comportamentos-problema e que, por outro lado, sejam dotados de competências que lhes permitem ajudar os filhos a potencializar ao máximo as suas capacidades.

Reuniões Mensais de Ajuda Mútua

Reuniões Mensais de Ajuda Mútua

Realizadas no pólo da Quinta do Conde, ao segundo sábado de cada mês, das 15h às 17h, as reuniões de ajuda mútua são um espaço de partilha de experiências entre pais de crianças com PEA e de discussão de ideias entre pais e cuidadores de pessoas com PEA de forma a promoverem projetos de vida com qualidade e dignidade para essas pessoas e encontrarem estratégias para algumas situações.

 

Datas das reuniões 2016

Seminários

Seminários

Realizamos um seminário anual, em Julho, subordinado á temática do autismo, para pais, profissionais, estudantes e comunidade em geral. Os seminários constituem um espaço de comunicação e partilha de informação com a finalidade de dotar os participantes de conhecimentos úteis para trabalhar com as pessoas com PEA.

 

Workshops

Workshops

Realizamos workshops relacionados com intervenções, metodologias cientificamente reconhecidas, gestão de comportamentos, hiperatividade, entre outros, contribuindo para a conhecimento geral e dotando os destinatários de informação úteis, quer para benefício pessoal, quer profissional.

 

 

 

Ações de sensibilização / sessões de esclarecimento sobre a PEA

Ações de sensibilização / sessões de esclarecimento sobre a PEA

Realizamos ações de sensibilização / sessões de esclarecimento sobre a PEA, essencialmente nas escolas do ensino básico e secundário, infantários, para pais, técnicos e sociedade em geral, contribuindo para a consciencialização desta problemática e dotando os destinatários de informação úteis, quer para benefício pessoal, quer profissional.

 

Contacte-nos se pretende organizar uma ação de sensibilização em colaboração com a APPDA-Setúbal.

 


Com estes serviços de apoio às pessoas com PEA e suas famílias pretendemos garantir o pleno gozo de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais de todas as pessoas, e o respeito pela sua dignidade, criar relações de confiança, com elevados índices de motivação, tolerância e persistência, promovendo mudanças na forma de pensar das pessoas, de ver e agir sobre o mundo, nos seus preconceitos e atitudes, de forma a melhorar a qualidade de vida das pessoas com PEA e suas famílias e consequente inserção na sociedade, para que tenham as mesmas oportunidades que as outras pessoas.

Animação

Animação

Psicomotricidade em Meio Aquático/Natação adaptada

Psicomotricidade em Meio Aquático/Natação adaptada

O programa de Intervenção Psicomotora em Meio Aquático, na Piscina Municipal de Azeitão, visa a implementação da Natação Terapêutica e/ou Natação Adaptada, a adaptação ao meio aquático e a aprendizagem de técnicas propulsivas para pessoas com PEA. Este programa pretende contribuir para a reabilitação/reeducação funcional e a melhoria do bem-estar físico e psíquico das pessoas com PEA, promovendo deste modo a igualdade de oportunidades para a prática de exercício e a melhoria da qualidade de vida destas crianças e suas famílias. 

 A natação adaptada promove aspetos psicomotores, como o equilíbrio, a coordenação e a estruturação espácio-temporal e é um ponto de partida fundamental para a aprendizagem das técnicas de nado, com as devidas adaptações. Assim, para além de proporcionar a prática da Hidroterapia/Natação Adaptada, este programa pretende também proporcionar a inclusão destas pessoas na sociedade, pois este tem sido um caminho que tem sido percorrido ao longo dos anos com muita dificuldade. Deste modo, ambiciona-se que os praticantes beneficiem de uma maximização dos seus potenciais funcionais, de desenvolvimento, de aprendizagem e descoberta, bem como beneficiem da melhoria das suas potencialidades de atuação e interação neste e noutros contextos. De um modo geral, a intervenção em meio aquático pretende promover o desenvolvimento global do indivíduo, não só nos aspetos fisiológicos e funcionais, como também nos aspetos psicomotores, psicológicos ou sociais.

 Salienta-se que a criança será acompanhada por um adulto de referência, que lhe transmite segurança física e estabilidade emocional, essenciais nesta fase de adaptação ao meio aquático, funcionando também como elo de ligação entre a criança e o técnico, interpretando os comportamentos e reações das crianças.

 

Aceda aqui ao regulamento do Programa de Intervenção Psicomotora em Meio Aquático

Musicoterapia-Projeto Musicar

Musicoterapia-Projeto Musicar

O projeto “Musicar” tem o objetivo de promover competências musicais e estimular a entrega espontânea ao mundo das sensações, desenvolvendo motivações e favorecendo a expressão, comunicação, linguagem e interação social, ao mesmo tempo que, de forma subtil, se introduzem elementos que permitem reforçar os hábitos adquiridos e assimilar a realidade. Desta forma, pretende que as crianças e jovens com PEA abracem de forma lúdica o mundo das sensações expressas nos elementos musicais como o ritmo e o som e ambiciona, através dos instrumentos e das suas componentes (ritmo, harmonia, silêncio, etc.), da voz e do movimento estimular e facilitar a comunicação da criança e do jovem com PEA entre o seu mundo e o mundo que o rodeia.
Com este projeto, pretende-se a promoção de:
√ Criatividade e imaginação;
√ Interação e empatia;
√ Comunicação e expressão;
√ Capacidade de resposta a um sinal;
√ Identificação de sinais;
√ Relações emocionais/sociais;
√ Vínculo entre realidade interna e externa;
√ Adaptação ao espaço e ao tempo;
√ Vontade versus automatismo;
√ Coordenação motora;
√ Fração emocional/cognitiva.

 

Aceda aqui ao regulamento do Projeto Musicar

Aceda aqui à adenda ao regulamento do Projeto Musicar

Oficinas de Promoção de Competências

Oficinas de Promoção de Competências

 

  • Férias da Páscoa
  • Férias de Verão crianças
  • Férias de Verão Jovens
  • Fins-de-semana

 

As Oficinas de Promoção de Competências proporcionam às crianças/jovens com PEA um programa de desenvolvimento de capacidades e competências desportivas, culturais e sociais, capacitando-os e conferindo-lhes o empowerment necessário para se constituírem atores ativos do seu processo de desenvolvimento e inclusão na sociedade, promovendo os direitos humanos das pessoas com deficiência.

Este programa, com uma metodologia própria, permite o desenvolvimento máximo das capacidades emocionais e sociais das crianças/jovens com PEA, através da otimização da comunicação interpessoal verbal e não-verbal, a prática da assertividade, a aquisição de conhecimentos, atitudes e formas de comportamento exigido para a sua integração social. Conferem-lhes um espaço de aprendizagem e interação social com os pares, mediado e mediatizado por um técnico que apoia e direciona as aquisições das crianças/jovens durante os jogos, captando a sua atenção, e conferindo um apoio especializado e intenso que pode fazer a diferença em termos de aquisições e acima de tudo em termos de adaptação das tarefas às capacidades próprias de cada um.

Serão desenvolvidas competências em meio aquático, competências sociais e culturais, competências de informática, competências de expressão plástica e dramática, competências de culinária, visitas à comunidade e jogos de grupo gímnico-desportivos - psicomotricidade, que formam um bloco integrante de aprendizagem às crianças/jovens com PEA. Salienta-se que tanto o desporto como a utilização das capacidades expressivas podem suster a aquisição de conceitos importantes, revestindo-se de cabal realce a nível cognitivo, social e pessoal.

Salienta-se que estas atividades apenas são realizadas se a associação conseguir angariar verbas através de candidaturas a programas para cofinanciamento das mesmas.

Centro de competências para o Autismo

Centro de competências para o Autismo

 

 

 

 

Terapia da fala

O terapeuta da fala é o profissional responsável pela prevenção, avaliação, diagnóstico, tratamento e estudo científico da comunicação humana e perturbações relacionadas ao nível da fala e da linguagem, bem como alterações relacionadas com as funções auditiva, visual, cognitiva, oro-muscular, respiração, deglutição e voz. Assim, a comunicação engloba todas as funções associadas à compreensão e à expressão da linguagem oral e escrita, assim como todas as formas apropriadas de comunicação não-verbal.


O atraso ou ausência total do desenvolvimento da linguagem é geralmente o primeiro sinal de alarme para a Perturbação do Espectro do Autismo (geralmente nos primeiros três anos de vida) e está entre os principais critérios para diagnosticar a PEA.
O desenvolvimento da linguagem nos primeiros cinco anos, assim como o QI, são fortes indicadores prognósticos. Uma linguagem muito limitada por volta dos cinco anos de idade constitui um forte indicador de grave incapacidade na idade adulta. Assim, intervenções como a terapia da fala, com a finalidade de desenvolver uma comunicação funcional são uma prioridade na educação das crianças com PEA.
As crianças com PEA demonstram dificuldades na capacidade de utilizar a linguagem como meio de comunicação, apresentando défices na aquisição do sistema linguístico e na compreensão e utilização das regras de um ou mais subsistemas linguísticos (fonológicas, morfológicas, sintáticas, semânticas e pragmáticas). As dificuldades mais acentuadas geralmente são notadas na semântica e na pragmática.
Perante as características de cada criança (incapacidade de falar, ou falar apenas dos assuntos pelos quais têm interesse, com um vocabulário pouco ou bem desenvolvido) é necessário criar um programa terapêutico. Este consiste numa terapia individualizada e específica, consoante as necessidades de cada criança.
Embora nenhum tratamento seja efetivo em normalizar a fala, os melhores resultados são conseguidos com o início da terapia na idade pré-escolar e que envolve a família junto com os profissionais. O mérito é conseguir que a criança utilize a comunicação funcional, ou seja, que a criança se faça entendida. Para uns a comunicação verbal é possível e alcançável. Para outros, a comunicação por gestos ou por utilização de símbolos ou figuras já é de grande valia. Avaliações periódicas devem ser feitas para encontrar as melhores abordagens e reestabelecer as metas de cada criança.

— Psicologia

Sabendo que a comunicação e interação social e o comportamento constituem as áreas de maior dificuldade nas PEA, o psicólogo atua nos processos de avaliação  e  intervenção,  no sentido de melhorar as áreas de maior comprometimento  e potenciar uma melhor qualidade de vida e bem-estar a estas pessoas/famílias.

Folheto do serviço de psicologia, aceda aqui

— Consulta de crianças e adolescentes 

As sessões de trabalho direto com a criança/jovem focam o treino de habilidades e competências a melhorar, bem como a alteração de comportamentos desadequados. 

- Quando há necessidade de intervenção individual e em privado;
- Quando há necessidade de reforçar a intervenção já existente noutro contexto.

Consulta para pais

- Quando há necessidade de orientação para lidar com dificuldades que surgem em casa e promoção de competências comportamentais para lidar com PEA;
- Gestão emocional;
- Promoção da aceitação.

 


Respiro

Respiro

Um projeto de vida de inclusão e cidadania

 


Dada a inexistência de respostas específicas para as pessoas com Perturbação do Espectro do Autismo (PEA) no Distrito de Setúbal, a APPDA – Setúbal está a desenvolver um projeto em parceria com a Câmara Municipal de Setúbal, que pretende dar resposta a jovens e adultos com PEA, a que chama-mos “Respiro”, a ser construído num terreno gentilmente cedido pela Câmara Municipal de Setúbal em Pinhal de Negreiros-Azeitão.

O “Respiro” é um equipamento social de lar residencial com capacidade para 12 clientes e Cento de Atividades Ocupacionais (CAO) com capacidade para 30 clientes.

O “Respiro” tem como finalidade máxima promover a autonomia e integração social das pessoas com PEA, reforçando constantemente os laços familiares, a aquisição de competências e capacidades pessoais, sociais, académicas e profissionais. Pretende-se proporcionar às pessoas com PEA a possibilidade de exercer uma atividade remunerada, tendo por base um sistema de simuladores que compreende empresas de vários sectores económicos, numa lógica de desenvolvimento integrado – emprego protegido.

 

Outra área fundamental é a residencial, permanente, temporária ou ocasional, de acordo com as necessidades das pessoas com PEA e famílias, que se possa transformar na sua segunda residência com todos os apoios e com um carácter familiar, fundamentais para a qualidade de vida destas pessoas.

 

O “Respiro” disponibilizará os seguintes serviços:

• Avaliação;

• Terapias e Acompanhamento Médico;

• Atividades de Desenvolvimento de Competências;

• Centro de Atividades Ocupacionais;

• Residência (Permanente / temporária / Ocasional).

Protocolos

Protocolos

Considerando a missão, visão, valores e objetivos, a APPDA-Setúbal estabelece protocolos com diversas entidades, com o intuito de estabelecer parcerias que melhorem as condições de vida das pessoas com deficiência e suas famílias, garantam a igualdade de oportunidades entre todos e contribuam para oferecer descontos em serviços prestados aos sócios da associação.

A realização destes protocolos prevê ainda uma parceria com outras instituições e empresas que apoiam a associação na realização das suas atividades com as pessoas com deficiência e suas famílias.

Desta forma, pretendemos contribuir para colmatar as necessidades dos nossos associados, indo ao encontro dos seus interesses, bem como da associação, que através da realização destes protocolos consegue dar continuidade aos seus projetos.

Agradecemos desde já a todas as entidades que estabeleceram protocolos com a associação, nomeadamente:

       • CNE – Corpo Nacional de Escutas

       • AEP – Associação de Escoteiros de Portugal

       • Centro Comunitário da Quinta do Conde

       • PEDRO RAPOSO & ASSOCIADOS – SOCIEDADE DE ADVOGADOS, R.L.,

       • Clínica Veterinária Patas e Penas